domingo, 9 de março de 2014

Você viu no Globo Repórter?

Uma vez que o Globo Repórter não pede licença para "falar o que quer" - sobre o que bem entender - também não vou fazê-lo. 

Simples assim...

Comecemos com cinco breves contatações:
1- Sim, a nutrição está na boca do povo - literalmente.
2 - Sim, quando ela é a pauta da mídia, ela é boa geradora dos queridos pontos no ibope.
3 - Sim, nestas situações, a ciência da nutrição passa a ser "divulgação científica da nutrição" - realizada, portanto, por profissionais da área da comunicação, cuja atribuição é "tornar comum o conhecimento".
4 - Infelizmente, a apresentação dos temas (o que inclui o assunto, a maneira como se dará a reportagem e quem irá ser a "fonte de informação") é feito visando o seu sucesso enquanto produto cultural - e não necessariamente a alma da informação. 
5 - E, mais infelizmente ainda, quando a grande mídia diz, é muito difícil dizer o contrário. Seu alcance é grande. Seu prestígio, ainda maior.

Na matéria desta ultima sexta-feira, eis que mais uma vez, o-milagre-de-alguns-alimentos se revelou como pauta do programa noturno. A goji, a laranja, a banana, o abacate, a jabuticaba... Seus estudo, seus efeitos promissores... A diabetes, as doenças cardiovasculares, o câncer... A energia, a vitalidade e, claro, o emagrecimento. 

Incontestável os benefícios das frutas. Fontes de vitaminas, de minerais, de fibras... Blá blá blá. Nada de muito novo ou surpreendente. Aliás, me parece bastante óbvio que sejam benéficas a todos os malefícios/desordens/doenças causados pela oxidação do organismo... Afinal, não são elas ricas em antioxidantes? Talvez por isso que o rol de benefícios citados seja sempre o mesmo. 

Ok. 

Mas, o mais interessante é a absoluta facilidade que este programa tem de misturar "estudos científicos" com "relatos pessoais", como se apresentassem o mesmo grau de prestígio informativo - que fique claro, de forma alguma desconsidero o relato pessoal, mas cabe aqui colocá-lo em perspectiva. 

A miscelânea, tristemente, não acaba por aí.

Também foram desenvolvidas outras duas habilidades no programa: a dos " ultimatos" (como verdades absolutas), e; a duvidosa seleção do "conselho de consultores" (que prevê a fonte de informação segundo seus títulos, mas nem sempre de acordo com o assunto especificamente - podem ser cientistas, pesquisadores, médicos... Mas seriam eles as fontes mais adequadas para o que se propõe apresentar?). 

Desculpe, mas não é que a "banana não engorde de jeito nenhum". Não é exatamente assim...
Ela tem calorias, aliás, como (quase) tudo. E dependendo de como for, pode sim "engordar". 
Um diabético, só para citar um exemplo, precisa, sem a menor dúvida, ponderar seu consumo para não alterar seus indicadores sanguíneos - oras, não é que ela tem amido em sua composição? Só eu que esqueci disso?

Desculpe, mais uma vez, mas não acho que uma pesquisadora de farmácia seja uma das pessoas mais indicadas para inferir, afirmar e divulgar que "um lanche intermediário poder muito bem ser trocado por um copo de suco de laranja". Ela pode ser - e de fato deve ser - uma ótima pesquisadora, uma exime conhecedora das funções corporais, mas de hábitos alimentares, substituições de alimentos e da "saciedade social" - aquela que considera o contexto dos indivíduos e não somente a resposta cerebral - ah... Isso eu acho difícil uma farmacêutica conhecer.
Também não acredito que o apresentador/repórter possa afirmar que "o suco de laranja é o ideal para uma dieta de emagrecimento"... Como assim? Ideal para quem? Como exatamente? Por que dizer isso em rede nacional? Será que todos que o assistem conseguem interpretar de modo correto essa informação?

Que fique claro, não sou contra o suco de laranja - aliás, nem é essa a questão - mas acho que toda generalização diminui a inteligência e empobrece a beleza da individualidade. Se você me der um copo de suco de laranja para que eu faça dele meu lanche da tarde, pode ter certeza que estarei pronta para devorar minha casa no jantar - de quebra, a minha adesão a esta "dieta" seria nula.  

No âmbito da nutrição, como trabalhamos com muitas variáveis (hábitos, gostos, vontades, necessidades...) tudo pode ser muito relativo e quando a relatividade é desconsiderada, a receita de bolo não oferece como resultado o que prometeu. 

Desculpe, mas qual seria mesmo a qualificação - do ponto de vista acadêmico de conhecimento - do personagem frugívoro que parou de dar aulas de inglês para escrever livros e dar palestras sobre a sua experiência? Segundo a legenda, trata-se de um "estudante de nutrição". Pois bem.
Com todo respeito, caro futuro colega, espero que aprendas muito a respeito da ciência nutricional, do equilíbrio, da harmonia e da responsabilidade que um profissional tem em manifestar suas preferências, mas de adequar para o paciente aquilo que ele precisa. É uma ciência, não uma doutrina. O título profissional não deve ser mais um artifício do marketing. 
Espero também, que aprendas que não existe a expressão "semi-obeso" e que as frutas/verduras/legumes/etc. que consumimos hoje, não são exatamente como as "fornecidas pela natureza"...

Enfim. 

De tudo, fico feliz por não ter sido feita referência a nenhum nutricionista nesta matéria.
Sim, fico mesmo muito feliz. 
Para nós, alimento é coisa seria. 
É nosso trabalho. São nossos estudos.

Ciência não se faz de extremismos, de modas e de promessas.
Ciência se constrói dia-a-dia, na seriedade, mesmo que para isso tenhamos que lutar contra o (des)serviço que, por vezes, a grande mídia nos faz.






http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2014/03/brasileiros-que-so-comem-frutas-garantem-que-dieta-aumenta-resistencia-fisica.html

http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2014/03/testes-feitos-com-time-de-futebol-mostram-que-suco-de-laranja-e-otimo-repositor-energetico.html


102 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa grande amiga....apoio a sua idéia!!!
    Tenho uma página alertando a popualação sobre os alimentos.
    https://www.facebook.com/equipevidasaudavel?ref=hl

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Magnífica colocação, colega!!!
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  3. Ótimo Post!! Parabéns, concordo com tudo que disse!!

    ResponderExcluir
  4. Adorei o post! Apesar de não ter assistido o programa, não deve fugir muito do que estamos acostumados a ver....
    Parabéns pelas palavras... e assino embaixo! Beijos

    ResponderExcluir
  5. Exatamente o que senti quando, o mesmo canal de grande alcance nacional, mostrou em um sábado a tarde que "água de quiabo" melhora/cura diabetes. Agora te pergunto, quantas pessoas menos instruídas, trocaram seus medicamentos pelo tal "remédio" milagroso?
    Não desmereço o estudo e empenho dos "jovens inventores", mas certas notícias devem ser dadas com cuidado, pois interferem diretamente na saúde das pessoas.

    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ane,
      Exatamente... Não é para desmerecer o conhecimento, mas para tomar cuidado com sua divulgação! O esclarecimento de poucos no alcance de muitos!

      Excluir
  6. Quando a mídia fala sobre nutrição, tenho certeza que no próximo dia terei que ter paciência para explicar e desfazer os mal entendidos.
    Ótima iniciativa, parabéns pelo post, todos brasileiros deveriam ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sibelle, por favor, continue tendo! Isso é o que nos ajuda!

      Excluir
  7. Na reportagem falaram que banana não prende o intestino e sim o contrário, essa informação realmente procede?
    A maioria das pessoas que conheço que tem intestino preso, se comer banana "tranca tudo".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo o que eu sei a banana prende, pois meu pai tem que comer banana e maça todos os dias, se não vai ao banheiro o dia todo, a banana e maça ajuda a regular o intestino dele rsrs

      Excluir
    2. Meninas, tudo depende... É uma questão de harmonia geral. Pode prender e pode soltar dependendo da qualidade do intestino da pessoa e a tolerância individual que ela tenha!
      Por isso que as vezes confunde!

      Excluir
    3. Isso mesmo, tudo depende. Para minha mãe, ela solta.

      Excluir
  8. Parabéns, concordo com o seu posicionamento. Afinal depois somos nós nutricionista que temos que desconstruir tantas falsas verdades.

    ResponderExcluir
  9. Caraca adorei seu post!! Parabéns ^^

    ResponderExcluir
  10. Não vi o Globo Repórter, acho que não perdi nada, não é?

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. parabéns!!! ótimas colocações...

    ResponderExcluir
  13. adorei, parabens.. permissão para postar em meu face..

    ResponderExcluir
  14. Excelente texto, super coerente. Todo sucesso pra vc!
    Compartilhei no face!

    ResponderExcluir
  15. Olá, concordo com as colocações. Entretanto, fizeram referência a uma nutricionista sim, formada pela Universidade Federal de Goiás, e a sua orientadora. Elas apresentaram o Baru ;)

    ResponderExcluir
  16. Expressou exatamente nosso pensamento! Mt bom!!!

    ResponderExcluir
  17. É impressionante como essa emissora é repleta de programas para falar sobre uma alimentação saudável, ou dar dicas de dietas, e esquecem de procurar o único profissional apto a falar sobre o assunto de maneira correta.!!!

    ResponderExcluir
  18. PERFEITO, parabéns. Disse tudo que nós estudantes de nutrição ou nutricionistas queríamos dizer na sexta.

    ResponderExcluir
  19. É isso ai, e bem pior é aquele médico dos pontos se promovendo no "Mal" Estar, sempre distorcendo o que nós nutricionistas falamos. Outro dia ele falou convictamente que carne não precisa ser bem cozida, que hoje em dia 'TODAS '' as carne passam por rigorosos processos de qualidade eliminando assim todo e qualquer vestígio de contaminação. Ele vederia dar uma voltinha no interior do brasil, pra ver a quantidade de matadouro e açougue clandestino que ainda existe.

    ResponderExcluir
  20. Mais uma vez pessoas tanto palpites e se intrometendo nos assuntos de nutrição. Presenciei educadores físicos passando plano alimentar para suas alunas. Come isso ou aquilo..Somente Nutricionista ou profissional especializado poderá prescrever seu plano alimentar.

    ResponderExcluir
  21. Muito bom perfeito as suas palavras aliás esse estudante pelo jeito nunca ouviu falar em Pedro Escudeiro !!!

    ResponderExcluir
  22. Caríssima colega Beatriz, seu texto, por sinal muito bem escrito e ponderado, deveria ser enviado à emissora.
    obrigada por dar voz a muitos de nós!

    ResponderExcluir
  23. Estou contente em poder compartilhar de sabias palavras! Fiquei indignada a reportagem e preocupada com nossos pacientes que tem restrição alimentar de alguns alimentos como a ingestão adequada da banana "não engorda e pode ser usada livremente... e blá blá blá" Sinto-me, agora Aliviada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciene, pois é... Foi exatamente isso que me motivou a escrever!
      Vamos adiante!

      Excluir
  24. Há alguns dias, antes da sexta do programa, passou uma reportagem no jornal hoje, se não me engano, falando que a população mundial tinha diminuído o consumo de suco de laranja, e os representantes da Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos estão bastante preocupados com isso. Acho q o globo repórter tentou reverter esse quadro, "propagandeando" os inúmeros benefícios do suco de laranja.

    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  25. Pois é, também sou uma indignada, porém assim como vc utilizou seu blog, utilizei meu perfil e marquei o perfil/página do Conselho Federal de Nutrição, assim como o sindicato de minha região. A gente sozinho, não consegue nada, temos que solicitar o conselho, o sindicato, estão aí para fazer algo pela categoria e não somente arrecadar dinheiro e distribuir revistas periódicas, ou apenas emitir carta de repúdio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lúcia,
      Descobri que a voz da "mídia social" vale muito mais...!

      Por isso, compartilhe seus pensamentos sempre - não importa como nem aonde! =)

      Excluir
  26. Ótimo texto, mas lembro que tinham nutricionistas sendo referenciados no programa. Mas em estudos sérios e com resultados fundamentados.

    ResponderExcluir
  27. A globo tem mania de "tornar" qualquer profissional da saúde o responsável por debates relacionados ao tema nutrição, globo repórter, mal estar, desencontro, fantástico com a bosta do medida certa... Fazem tanta propaganda sobre eles mesmos dizendo que se comprometem com a veracidade e qualidade de suas informações mas esquecem de dar essa incumbência ao que realmente se prestam ao assunto abordado. Acho que já passou da hora do conselho agir, não só quando quer receber o boletinho, mas com relação a mídia atual e suas informações distorcidas, tanto nas redes de TV quanto na internet como no caso da pugliessi.

    ResponderExcluir
  28. Parabéns pelas colocações colega.

    ResponderExcluir
  29. mandou bem, parabéns, que bom ter pessoas sensatas conhecedoras das suas áreas para poder filtrar a informação que a mídia joga nas nossas casas, obrigado pela matéria

    ResponderExcluir
  30. E os agrotoxicos? Ninguem fala neles?! E as sementes transgenicas? Ninguem fala nelas?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é..
      Foi justamente isso que eu quis dizer quando ouvi que "comemos a limento como a natureza fez". As nossas frutas não são mais naturais!

      Excluir
  31. Bom texto! De qualquer forma a valorização da NUTRIÇÃO e das Nutricionistas fica muito em evidencia,...cada vez mais claro que para manter a saúde é necessário um nutricionista e nao um médico!!

    ResponderExcluir
  32. Não sou nutricionista, nem entendo nada do assunto, mas quando escutei no reclame que a banana tinha a mesma caloria que uma fatia de melancia eu me recusei a assistir o programa. Não é confiável

    ResponderExcluir
  33. Nunca li nada tão racional, merece ser compartilhado!

    ResponderExcluir
  34. Parabéns pelo esclarecimento! foi exatamente o que pensei quando vi o programa. Até tinha colocado em dúvidas meus conhecimento. "será que aprendi tudo errado???"

    ResponderExcluir
  35. Resumindo: O Globo Repórter resolveu não consultar nenhum nutricionista (formado, pelo menos), então a matéria não vale nada.

    Minha amiga, eles são TV. O trabalho dele NÃO é divulgar a verdade científica. Até mesmo porque sabemos que ela não existe.

    Concordo no ponto de vista de que deveriam evitar alardear ideias do tipo "Esse superalimento pode te emagrecer dez quilos" ou "Quem come isso não morre", mas o resto me pareceu um pouco de angústia.

    Faltou colocar um pouco as coisas no contexto também. Por exemplo: quando falaram de comer banana infinitamente e não engordar (inclusive com amparo de uma consultora) estavam falando sobre o hipermaratonista que é crudívoro.

    Esse tipo de dieta a nutrologia ignora. Não há estudos para o tema e não sabe-se nem, só para ilustrar, é o nível de B12 que um crudívoro necessita.

    Então, às vezes, é melhor ouvir pontos de vista alternativos. Pelo menos, destes os espectadores podem duvidar. Talvez resolvam testar. E aí sim estão fazendo ciência de verdade.

    Por que a epistemologia diz que, muitas vezes, o avanço científico não necessita de laboratórios, mas da colocação de bons problemas e hipóteses. E, tentando passar por cima disso, pode-se fazer as pessoas viverem muito mais bitolados do que precisam.

    Então, Patrícia Mantovani, talvez seria melhor pensar duas vezes antes de assinar embaixo. Ou, sim, Inoan, talvez você tenha aprendido tudo "errado". Não se surpreendam. Sobre os mistérios da natureza, só sabe o tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Murilo, na verdade - e com todo o respeito - não é bem isso que, em resumo, diz o post.

      Já que tens esse ponto de vista, talvez goste de buscar outros conceitos sobre o tema. Posso te indicar uma leitura?

      Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clinica do campo científico. É de Pierre Bourdieu. (da editora Unesp) - Difícil de achar, mas vale a pena!

      Excluir
  36. Há, o bom e velho português!!! Sempre passando rasteiras nos grandes expoentes da cultura brasileira!!!

    ResponderExcluir
  37. Não sou nutricionista, nem trabalho com a saude alheia, mas tem toda razão.se assim fosse, sua profissão não existiria.
    a tv tenta o tempo todo criar mitos e costumes, e as vezes acaba trazendo até os maus hábitos com informaçoes inadequadas.
    parabens pelos pensamentos e divulgação deles.


    Marcio Carneiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo incentivo Marcio!

      São precisos 4 anos de faculdade, mais 4 de especialização, mais 2 de mestrado e isso não acaba nunca... =)

      Excluir
  38. Realmente a mídia em geral peca com sua desinformação cotidiana, falam o que querem e o povo que engula.
    Sabemos também que várias outras profissões pecam, e pecam gravemente.
    Vamos a um exemplo com a Nutrição: O rapaz que fala na matéria está ainda em formação acadêmica e pode estar falando algo não confirmado pela ciência, mas está dizendo: "comam frutas, é assim dês do inicio da vida humana e animal, vai te fazer bem". Porém temos profissionais com doutorados que cobram R$500 por uma consulta e que vão nos dizer que podemos comer de tudo, animais mortos ha meses atrás chapados de antibióticos que se alimentam mal, açucares e adoçantes industrializados, alimentos processados, aquecidos, resfriados, transmutados, colorados, conservados, contanto que não abuse, sendo que a maioria desses alimentos não existia ha 100 anos atrás, principalmente neste ciclo totalmente industrializado, nossos corpos não se desenvolveram com esta alimentação, na verdade parece que está havendo um retrocesso na atual alimentação moderna. (população obesa, diabética, anemia mascarada...)
    Isto não pode ser um pecado que os nutricionistas possam estar cometendo? Alimentar as pessoas de processos químicos inexistentes durante nossa evolução? Poluindo e contaminando a população?
    Todos podem estar pecando, pense nisso antes de querer corrigir alguém, mas nunca cale o que o seu coração tem a dizer, mesmo parecendo um louco (diante dos outros loucos) você pode estar fazendo o bem com suas palavras.
    Mas julgar pessoas que comem frutas enquanto você tem um plano de fundo de jujubas... Eu não me consultaria com você. Prefiro seguir meus instintos e comer o que eu tiver vontade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo, respeito seu pensamento.

      No entanto, não posso deixar de fazer quatro inferências - se me permite.

      A primeira, é que você pode, muito bem escolher o que vai comer. Pode usar seu instinto, suas vontades, sua cultura... Mas, infelizmente, se você não tiver uma horta na sua casa, dificilmente está escolhendo seu consumo "livremente". Tudo tem agrotóxico.O mundo é inteiro industrializado. Então você acha que é, mas não é realmente livre nessas suas escolhas.

      Segundo, diz respeito a responsabilidade de alguém que é escolhido para falar na mídia e usa "um quase título" de formação acadêmica. Isso vai, inclusive, contra a ética (não somente profissional).

      Terceiro, não somos nós nutricionistas nem médicos que (por sinal, estudamos muito, e temos sim a possibilidade de cobrar 500 reais em uma consulta... Você já viu como faculdade e especialização são caras?) quem cometem este "pecado" que você citou. É a condição e a sociedade em que vivemos. Acho interessante quando as pessoas falam que o "ser humano se alimentava disso ou daquilo e que aquilo é o natural"... Pois bem, quando você está doente toma remédio ou fica esperando seu corpo se curar? Vai pro hospital se precisar de uma cirurgia? Tem a mesma expectativa de vida de 30 anos, como os homens das cavernas? Tudo evoluiu. Não somos mais "os mesmos homens das cavernas". Nem se quiséssemos ser.

      E, quarto, por favor, releia o post. Veja mesmo se, em algum momento eu julguei a opção do rapaz. Eu apenas falei da relação profissional e de escolha de vida, que neste aspecto, precisam ser separadas. Somente isso.

      Ah... e não são jujubas, são delicatos! :)

      Excluir
    2. Conversar com cientista não é fácil. Só não conseguem explicar Deus, para todo o resto sempre há um jeito. (Com todo respeito Beatriz Sebroeck).

      Acho que atualmente o mundo está se desenvolvendo positivamente em vários campos, principalmente na consciência individual. E não vejo problema em pessoas que querem se manterem vivos energicamente através de alimentos que a natureza nos fornece em sua melhor forma (mesmo ainda com a existência de agrotóxicos). O problema que eu vejo aqui aconteceu por causa da interferência da midia, pois hoje em dia afirmo que praticamente 99% que está nela tem muito pouca verdade ou quase nada.
      Portanto precisamos ter idéias abertas para evoluirmos e chegarmos à verdade juntos, pois não vale a pena uma discussão apenas para sabermos quem será o vencedor.

      "As doenças são os resultados não só dos nossos atos, mas também dos nossos pensamentos".
      Mahatma Gandhi

      Sinceros parabéns! Discutiremos para progredir e não para regredir.

      (Desculpa, mas também não entendi o plano de fundo de delicatos porque, por sinal, se parecem muito com jujubas).

      Excluir
    3. Jujubas, delicatos... a Dra. recomenda-os aos seus pacientes para terem uma alimentação melhor,mais saúde e vitalidade? E frutas? Eu sou leigo e isso não faz sentido nenhum pra mim.

      Eu não vivo na cidade, sou da roça, tenho frutas na porta da minha casa, umas 20 espécies, de limão a lichia, cultivados com compostagem orgânica e muito amor. É claro que não tem como fugir das químicas presentes em quase tudo o que há sobre a superfície terrestre, mas eu como sem me preocupar com isso, todos vamos voltar à terra um dia.

      Os jovens do vídeo ressaltam o poder dos alimentos vivos e tiveram a cara e a coragem de expor ao povo seu ponto de vista e escolha de vida, se são formados ou não, falam do que acreditam e seguem seu trabalho de coração. Você não é a primeira diplomada que tenta ridicularizar pessoas simples, mas adivinha só, eles estão na tv falando para multidões, e você esta no seu blog falando para algumas dezenas, o que você pode fazer a respeito para salvar o povo da ignorância? Cobrar R$500 de cada pessoa para tornar suas vidas melhores? Ou entrar de graça na casa delas para dizer: "é simples viver melhor, experimente".

      Nos conte Dra. quantas calorias tem nesse plano de fundo? menos que um cacho de banana?

      Excluir
    4. Não é a toa que o blog chama blá-blá-blá de nutrição :( muita credibilidade na escolha do nome para uma mestra em comunicação... Vou la na minha bananeira colher um cacho e volto amanhã ler mais seu blog.

      Excluir
    5. Leonardo,

      Quanta raiva... não?

      Se você não fosse leigo no assunto, talvez soubesse que não é preciso contar calorias para ter uma boa dieta. Que o mais importante é sua aplicabilidade na vida.

      Só não entendo o motivo da grosseria da suas colocações.
      O nome do meu blog diz respeito aos assuntos que inferem na minha área e o quanto interferem na vida de pacientes que já sofreram grandes consequências com esse tipo de reportagem.

      O alvo era a reportagem. Mas a sua interpretação foi bastante tortuosa. Me desculpe se te atingi de algum outro modo - não era essa a intenção (acho que trouxe para um lado bastante pessoal).

      Atenciosamente.

      Excluir
    6. Luiz Gustavo,

      Nunca pensei que meu plano de fundo desse tanto pano para manga.

      De todo modo, explico: a idéia do blog era justamente brincar com a expectativa que todos tem de que a nutrição clássica, que sempre vemos. Discutir os temas sob uma perspectiva mais leve, menos extremista... Mais praticável.

      A diversidade, o equilíbrio, a cor, a liberdade.

      Que a discussão siga em frente, com respeito.

      Excluir
    7. Senhor Leonardo,
      Também sou da roça e vegana a 12 anos.
      Mes sim, mes não, vou a cidade para passar em consulta com uma excelente nutricionista (que tem bem poucos horários disponíveis na agenda). Sorte a minha! Nunca me senti tão bem e nunca havia sido tão respeitada por um profissional da saúde antes. Uma pessoa que realmente faz valer cada centavo e cada km rodado. Que RESPEITA o paciente suas restrições.
      Achei muito injusto seus comentários, que nem a conhece.
      Passe bem com seus conhecimentos.



      Bia, amei seu post. Ótimo como de costume! Até a próxima semana!

      Excluir
    8. Não estou com raiva, sentimentos ruins não tem espaço na minha vida. E essa técnica dissimulada de "você ta bravo" não funciona comigo não, te fiz perguntas e só esperava respostas, se não pode fornece-las nem precisa me responder.

      Só faço questão de me manifestar, pois ficar calado diante de argumentos manjados como os seus não fico. Você esta defendendo o seu diploma e investimentos em estudos para se dizer dona da verdade e das respostas corretas, só esta contribuindo para a desinformação do povo, puxando sardinha pro seu lado.

      Me diz, você é capaz de escrever um artigo que complemente e corrija o programa Globo Repórter sobre as frutas? por que se você fizer isso com sucesso, vai agregar valor ao assunto e não tentar desvaloriza-lo. Se você quer ser referencia no assunto, não basta reagir, é preciso agir.

      E quer saber, eu vou a nutricionista, ja fui casado com uma nutricionista, tenho amigos nutricionistas, o trabalho de vocês é muito digno e belo, pois muitas pessoas sofrem com a má alimentação e são ajudadas por vocês, porém o seu post aqui foi muito infeliz, não agregou nada além da burocracia de "quem devia estar lá falando era um nutrólogo diplomado certificado carimbado". Esperava ler informações adicionais que expandissem o tema, mas isso não foi feito.

      De qualquer forma você está aqui fazendo seu trabalho, e ele com certeza irá evoluir com o tempo. lembre-se, a critica vai te ajudar a evoluir (não é nada pessoal), ja os elogios vagos só vão inflar o seu ego e te fazer tropeçar mais e mais. Você escreve bem, no fundo só esta sendo contra a tv globo, mas no assunto nutrição, pra mim, você não agregou nada.

      Excluir
    9. Layla querida!

      Muito obrigada pela confiança - e pelos quilômetros rodados! ;)

      Até a próxima semana!
      Bjo!

      Excluir
    10. Affffffffffffffffffffffffffff!!!!!!!!!!!!!!!
      Tu entra no blog da dra, faz uma série de pseudo criticas chulas, se gaba delas. Tu ficou bravinho sim. Acho que é pela sua ex-esposa kkkkkkkkkkkkkk
      Será que é mesmo a dra que se acha dona da verdade? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    11. Grandes argumentos carlos, adicionou toda a sua inteligencia a esta discussão.

      Excluir
  39. Eu perdi muito peso após ter seguido as recomendações de uma nutricionista, realmente não existe nenhuma fórmula mágica, minha "dieta" foi prescrita após um levantamento detalhado da minha rotina, o que gosto de comer e o que eu preciso comer. Em posse desses dados a profissional elaborou um programa de reeducação em meus hábitos alimentares, em nenhum momento a nutricionista me garantiu a perda de peso, apenas garantiu uma qualidade de vida melhor, a perda de peso veio como consequência de um aconselhamento responsável. Hoje não como menos que eu comia antes, apenas o faço com um pouco mais de qualidade e consciência!!!

    ResponderExcluir
  40. Precisamos de mais colegas nutricionistas como vc.. Parabeeens de verdade. Temos que orientar que pra ser nutricionista precisa- se de titulo, pq hj todos querem ser.

    ResponderExcluir
  41. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patricia, desculpe, fui responder seu post e acabei excluindo...
      Respondi no seu e-mail! ;)

      Excluir
  42. Isso serve para qualquer área. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida!
      Por isso que vale o esforço de falar...
      Tornar comum o pensamento já é em si um começo!

      Excluir
  43. Parabéns Beatriz, é muito bom vermos que há profissionais lutando pela Nutrição do ser humano, em um mundo onde tantos modismos e interesses financeiros vem na frente.
    Um abraço!
    Luciana Di Pietor Magri - CRN 3058

    ResponderExcluir
  44. Parabéénns.... FANTÁSTICO!!
    Isso nos intriga como Nutricionista... Sem falar que confundi a população em geral que não tem o amplo conhecimento!
    Adoooreeii coleega de profissão! Sucesso e vamos que vamos lutar pelo oq aprendemos ;D

    ResponderExcluir
  45. Beatriz acabei entrando em seu blog pois uma amiga nutricionista postou no facebook, então primeiro quero te dizer que compartilho da tua ideia, não sou nutricionista mas irmã de uma (especialista em nutrição esportiva e ortomolecular), sou farmacêutica promotora de saúde, e toda vez que uma matéria sai na mídia os meu clientes vem correndo buscar os esperados "milagres" que foram abordados, eu como profissional responsável sempre explico que não existe milagres, e sim um conjunto de atitudes que devemos mudar para ter os resultados esperados, pois somos indivíduos diferentes e não quer dizer que o que foi prescrito para um serve para outro. Mais uma vez você está de parabéns pela colocação.
    Clarissa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito Clarissa!
      É bem por aí... Modismos e promessas vendem muito bem!
      Que façamos a nossa parte com todo primor possível!

      Excluir
  46. e a goji 'e verdade sobre o que falaram dela?

    ResponderExcluir
  47. perfeita tuas colocações, eu como uma futura profissional da nutrição, fico com muita raiva em ver esse tipo de mídia...parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shirley,
      Logo quando decidi que seria nutricionista, já comecei a me incomodar com isso!
      Bem entendo como é... ;)
      Julguei que compartilhar no blog seria uma forma de manifestar!
      Bjo e boa sorte!

      Excluir
  48. estou no 3° semestre de nutrição e mesmo iniciante fiquei meio que pasmo assistindo o progama da sexta feira passada,contei na sala de aula e fizemos uma boa discussão sobre isso. Parabéns vc retratou exatamente como nas nossa discussão, vc sem duvida deve ser uma boa profissional.

    ResponderExcluir
  49. Dra. Beatriz, teu texto está excelente!
    Compartilhei e tive mais de 3000 curtidas e comentários.
    Valeu!

    ResponderExcluir
  50. Parabéns pelo texto. Infelizmente não só pela mídia, mas pelas redes sociais as pessoas aproveitam-se para divulgar informações tendenciosas.

    Outro dia li uma postagem no facebook da Luisa Mel, famosa defensora dos direitos dos animais. Ela divulgou que (olha o nível!) a mãe procurou e viu na internet que bicarbonato de sódio era solução de câncer. Como a cadela dela estava com câncer e desacreditada, ela começou a dar o bicarbonato e, aparentemente, a cachorra começou a melhorar.

    O problema não foi o relato. O problema foi como ela passou a informação, para os milhares de seguidores cegos e sem um mínimo de bom senso dela. Ela ignorou a influência que tem, e fez parecer que a solução agora, para todos, é meter bicarbonato nos seus bichos, filhos, parentes, para salvar do câncer. Como se não houvessem remédios mais, tratamentos específicos, o ambiente, o apoio da família, etc.

    Pior, a mãe dela pesquisou na internet, provavelmente no Google. A página de referência era ridícula. O tal médico que descobriu esse milagre já perdeu a habilitação de médico.

    Fiz uma postagem falando sobre isso, como não achava certo a posição da mesma. Sabe como me respondeu?: "a ciência hoje me parece uma farsa". Engraçado que no caso Royal, ela soube se valer dos cientistas da Europa como argumento para acabar com uso de cosméticos. Usa e abusa da ciência quando interessa. Pior que várias pessoas levaram para o lado pessoal, e ficaram falando mil abobrinhas. Fiquei feliz que algumas pessoas mostraram compartilhar do meu sentimento de indignação.

    Enfim, apenas um desabafo. Ótimo texto, realmente mostra o problema que vivemos com essa mídia manipuladora - independente se é intencional ou não.

    ResponderExcluir
  51. Vim para dar meu apoio, sou leigo no que tange a ciência nutricional e não sou defensor da mídia. Como esse é um espaço público e também é formador de opinião, venho dizer que seu texto é bem escrito porém em ALGUMAS partes faltaram o contexto que diminui o citado sensacionalismo.
    A profissional que comentou sobre a banana, disse que a banana tem calorias e a comparou com as calorias da melancia. A profissional que falou sobre o suco de laranja, usou a relação de nutrientes, fibras e vitaminas. Um copo de suco de laranja leva em torno de 3 a 4 laranjas em seu preparo, o que disponibiliza grande quantidade de açucares, vitaminas e principalmente fibras que PODE dar uma RELATIVA sensação de saciedade. Com certeza não substitui o lanche intermediário por não ter a variedade de nutrientes, mas o contexto diminui o sensacionalismo. E os pesquisadores que apareceram na reportagem, pesquisaram frutos individualmente e citaram os benefícios dos nutrientes e substâncias encontradas nas frutas individualmente. X substância é bom pra doença Y. E por último, a reportagem informou sobre a existência dos frugívoros e ao final citou os problemas de ter somente frutas no cardápio. Citou a existência do rapaz que escreveu livros e levava a vida com o cardápio restrito a frutas, fiquei abismado também com o egoísmo dele de escrever algo que ele acredita como sendo verdade e a melhor opção para uma população completamente variável em suas necessidades nutricionais. Veja bem, eu não estou falando que você está errada e/ou que a reportagem foi 100% confiável e honesta. Não acho que nenhum dos profissionais estão certos na composição de uma dieta baseado em seus estudos, experiências pessoais e relatos pessoais. Acredito sim que nutricionistas estudam muito para fazer uma orientação correta, saudável e individual a cada paciente e suas necessidades. Gostei de ler o texto, espero que escreva mais. Admirei a maneira como respondeu cada um dos comentários e a maneira clara e educada que respondeu alguns que também criticaram o seu texto. Só ressaltei detalhes porque também assisti ao programa e li seu texto. Mas, assim como o Globo Repórter é público, seu blog também é. Portanto, são formadores de opinião. Assim sendo, temi pelo generalismo das informações, tanto na reportagem quanto no seu texto. Não acredito que alguém vá ler o meu comentário além de você, o q não acarretará em algum constrangimento. Foi só por causa do generalismo. Também acho que toda generalização diminui a inteligência e empobrece a beleza da individualidade. Continue escrevendo mais. Belo trabalho e sucesso sempre. Você tem o meu respeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Túlio, obrigada pelas suas palavras.
      Meu foco é o modo com que os assuntos são tratados e as "fontes científicas" consultadas! - isso é um grande problema em qualquer área...
      Intervenções externas ao conhecimento (ao campo do conhecimento) são muito complicadas, ainda mais quando se fala de comida. Não é porque todo mundo se alimenta que todo mundo conhece a respeito de alimentação... O advogado estuda para advogar, o médico estuda para exercer sua profissão e etc etc etc... Acho que a proximidade que a nutrição tem das pessoas insita achar que "de nutrição todo mundo sabe".... Não é bem por aí... Não?

      Excluir
  52. Concordo com tudo que você disse.
    Sou nutricionista e fico com ódio dessas emissoras, que falam um monte de besteiras e depois nós temos que tentar arrumar a bagunça que fazem na mente dos leigos. Aliás eles têm uma facilidade de convencer, que o nosso discurso científico é pouco valorizado.

    Parabéns pelo post!
    Serviu de desabafo para todos nós profissionais

    ResponderExcluir
  53. Parabéns Beatriz,
    Adorei sua colocação e fiquei feliz com sua abordagem da nutrição!
    O seu plano de fundo me fez rir, adorei ;)
    Somos profissionais de nutrição, não somos fiscalizadores de comer perfeito mas sim comer bem, com prazer e sem culpa!
    Postei seu artigo na minha pagina de FB de tanto eu gostei, https://www.facebook.com/OsSegredosDaSophie
    Parabens! Continue assim!
    Sophie Deram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sophie, muito obrigada!
      Eu tomei a liberdade de ir lá curtir! ;)
      Adorei o "não somos fiscalizadoras do comer direito"! Sem dúvidas!!!!!

      Beijos!

      Excluir
  54. Parabéns pela iniciativa! Estarei compartilhando, pois compartilho de sua opinião!

    ResponderExcluir