sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Sai pra lá com essa tal nutrição!

Quem me conhece sabe que gosto muito do que eu faço.
Na verdade é quase impossível não notar.

No entanto, é com uma frequência quase que assustadora que me pego pensando o quão insuportável é essa tal nutrição. Digo tal nutrição, porque essa aí, que me incomoda horrores não é a minha querida nutrição. 

A tal nutrição é dura, fria, cheia de não-faça-isso-não-faça-aquilo. É repleta de restrições abusivas: que, pouco a pouco, vão retirando a graça e o gosto do leite, do pão e da vida.
A minha querida nutrição é calorosa, colorida e pede licença ao entrar na vida dos outros. Acredita, sobretudo, na harmonia: coloca aqui, mexe acolá e oferece ferramenta para as escolhas pessoais.

A tal da nutrição fala de receitas fit, de suplemento cheio de pompa e milagre na forma de alimentos. A minha querida nutrição me assegura que comer é mais do que matar a fome, constrói corpos e laços afetivos e que não há tal coisa como alimento bonzinho e bandido, o que vale mesmo é a combinação.

A tal da nutrição calcula gramas, conta calorias e traça metas.
A minha querida nutrição considera o modo com que o corpo usa essa energia toda, como a distribui e como a estoca, não depende de nenhum software "de dieta" tão pouca da (in)exatidão das tabelas nutricionais. As metas, por aqui, são facilmente substituídas por um sorriso - daqueles bem verdadeiros - no rosto do paciente.

A tal da nutrição acredita muito na "funcionalidade" das coisas: nutrição funcional, treino funcional, dieta+exercício funcional, etecetera-e-tal.
A minha querida nutrição acha o termo "funcional" muito intrigante: respeita-o enquanto termo técnico, mas ri da sua obvialidade. Acredita que a alimentação não é feita de "coisas", mas de um todo combinado.

A tal nutrição acha que o bonito é ser magro, forte e definido... Por vezes, chama isso de saudável.
A minha querida nutrição diz que corpo, cada um tem o seu. Gostos e preferências, idem. Se ser assim é o que você quer: vamos fazê-lo. Se ser assado lhe encanta mais: ótimo! Não há a menor necessidade em querer ser algo que na verdade, lá no fundo, não se é.
Se para atingir uma #meta é preciso sofrer, talvez seja melhor considerar e refletir... Se valer a pena, vença o sofrimento e o transforme em conquista; Se não valer, meu caro, é hora de traçar novos planos - a vida é sua!

Ô minha querida nutrição, gosto tanto de você!
Queria tanto que você fosse mais forte do que essa tal nutrição.
No que depender de mim, pode ficar tranquila que estarás a salvo.
Porque, assim como você, eu também acredito que o #foco é ser feliz.


4 comentários:

  1. Amo nutrição, como você! Excelente texto! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andie, bom saber que não estou sozinha! ;)
      Obrigada pelo carinho!

      Excluir
  2. PARABÉNS!
    Adorei seu texto!
    Também amo a Nutrição e precisamos de mais nutricionistas como vc!
    Sou professora de Educação Nutricional e vou indicar seu blog para meus alunos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Regina, que honra!
      Muito obrigada, pelas palavras... Espero que consigamos criar novos nutricionistas que amem e nossa querida nutrição! :)

      Excluir